Tem um ditado que diz mais ou menos assim: Como se faz para se comer um elefante? E a resposta é mais simples do que parece, apenas um pedaço de cada vez.

 

Também é assim com a vida. Um dia de cada vez. 

 

Parece papo de AA, e é. Afinal, se a gente entender a paixão, o amor, como uma alteração química no cérebro, da qual nos tornamos dependentes, e, de uma hora para a outra, nosso “fornecedor” não quer mais nos dar a “dose” de que precisamos, então precisamos agir como se estivéssemos em recuperação. Um dia de cada vez.

 

Só por hoje não vou pensar nele. Só por hoje não vou me preocupar pela milionésima vez com a mudança de status nas redes sociais. Só por hoje não vou pensar no que a minha vida poderia ter sido caso ainda estivesse com ele.

 

Só por hoje, eu vou pensar em mim. Só por hoje eu vou dar atenção aos meus amigos, que se preocupam e me mandam mensagem, e me convidam pra sair, e pra quem eu sempre respondo que estou muito cansada ou ocupada, pra quem eu peço que entendam que ainda estou meio triste e que me liguem mais tarde. Só por hoje eu vou decidir que vou desligar o pensamento do passado e fazer planos para um futuro só meu, com coisas que eu sempre quis mas deixei de considerar porque havia outra pessoa na história que desconsiderava, na maior parte das vezes, a minha vontade e os meus sonhos.

 

Só por hoje eu vou fazer aquela lista que me prometo há meses, a de prós e contras, e colocar tudo na balança, se vale a pena ou não continuar arrastando essas correntes.

 

Mesmo que uma parte de cada vez, um elefante é um bicho bem grande para se comer. Leva-se tempo. Às vezes, dias. No meu caso, está levando mais tempo. A verdade é que, mais cedo ou mais tarde, até o maior dos elefantes acaba. Só não dá pra desistir no meio do caminho.

 

Anúncios